Não haverá velório. A causa da morte ainda é indeterminada.

Os corpos das meninas encontradas mortas dentro de um furgão na Zona Leste de São Paulo, na semana passada, serão enterrados, por volta das 10h, no Cemitério da Saudade, em São Miguel Paulista.

Publicidade

Não haverá velório e os corpos, que ainda estão no Instituto Médico Legal (IML) Central, serão levados direto para o cemitério.

Os pais das duas meninas foram ao Instituo Médico Legal (IML) liberar os corpos das filhas na tarde desta quinta-feira (19).

“Pelo menos vai acabar esse sofrimento. Em nome de Deus”, disse Adriana Severo de Jesus, mãe de Adrielli Mel Porto, a Mel, de 3 anos e 8 meses, na porta do instituto.

A polícia confirmou nesta quinta a certeza que os pais já tinham: os corpos encontrados no carro na semana passada são das duas crianças que estavam desaparecidas desde o dia 24 de setembro. A policia disse que os corpos encontrados estavam sem parte das roupas.

Mais de cem impressões digitais foram colhidas dentro do veiculo. Os peritos também encontraram um preservativo fechado. Os resultados dos exames são essenciais para a investigação.

A certidão de óbito entregue hoje para os pais das meninas aponta como causa da morte indeterminada, já que os laudos que vão apontar como elas morreram ainda não ficaram prontos.

O pai de Adrielli espera que a investigação esclareça o que aconteceu com as crianças. “Eu acredito que quando chegarem os laudos vamos saber quem são os envolvidos e os culpados. Se for para dizer aleatoriamente, sem respaldo, é melhor não falar”, disse o pai de Mel.

As meninas serão enterradas no Cemitério da Saudade, em São Miguel Paulista, nesta sexta-feira (20).

O caso

A polícia foi acionada por moradores do Jardim Lapena no dia 12 de outubro. Como era dia das crianças, os vizinhos tinham fechado parte da Rua Call para fazer um churrasco e sentiram um cheiro muito forte vindo de um terreno que estava fechado com placas de alumínio.

Um vizinho pulou o muro e encontrou a Fiorino branca com os dois corpos dentro.

Mesmo antes da conclusão do IML, contudo, os vizinhos já desconfiavam que se tratavam de Bia e Mel. Elas desapareceram no dia 24 de setembro, quando brincavam em frente de casa, cerca 150 metros do local onde fos corpos foram encontrados.

Também antes do anúncio de identificação, as mães das crianças estiveram no IML e reconheceram as roupas que as filhas vestiam no dia do desaparecimento. O chinelo de uma das meninas também foi reconhecido.

Investigação

Apesar do estado dos corpos, a polícia vai tentar identificar se as meninas foram alvo de violência sexual. Segundo a delegada Ana Lucia Lopes Miranda, do DHPP, os vizinhos relatam que não houve nenhuma anormalidade naquele dia.

Uma das meninas estava sem a parte de baixo da roupa. A polícia também analisa as impressões digitais em uma embalagem de preservativo fechado encontrado dentro do furgão. Foram colhidas mais de 100 digitais no veículo periciado.

Também estão sendo analisadas as impressões digitais em um rádio comunicador que estava dentro do veículo.

Além da possibilidade de duplo assassinato, a polícia trabalha a hipótese de acidente. Para a delegada, as meninas podem, por exemplo, ter entrado no veículo para brincar e, em razão de o carro ter uma tranca interna de difícil acesso, ter ficado presas.

“Por enquanto não dá para dizer se foi um crime, se foi acidente. Depende dos laudos para definir o que aconteceu”, disse Ana Lucia Lopes Miranda, do DHPP.

O carro é produto de roubo em Guarulhos. O chassi e o número de motor remetem a um veículo que foi roubado na área do 53º Distrito Policial – Parque do Carmo.

O veículo foi levado para o pátio da delegacia do bairro. O DHPP ainda procura identificar o dono do automóvel, que foi roubado este ano. Um rádio comunicador, que foi recolhido para a análise das digitais, e uma touca preta foram apreendidas na Fiorino.

Os investigadores já sabem que um pedaço de madeira travava a porta do baú do veículo e um outro pedaço impedia que a porta do motorista fosse aberta.

Até o momento não há suspeitos. O governo de São Paulo oferece R$ 50 mil de recompensa para quem tiver informações que possam ajudar a polícia a identificar possíveis envolvidos na morte das meninas. As denúncias podem ser feitas pela internet no site de denúncias ou diretamente com os policiais que investigam o caso.

Fonte: G1

Foto: Tv Globo.

Comentar

Comentar