Na sexta-feira, 14 novembro, uma unidade de produção de ouro da mineração estatal Grassalco foi oficialmente aberta para operar em Maripaston.

Segundo o gerente de operações da Grassalco, Azma Karamat-Ali, a produção para os próximos 18 meses está garantida devido a capacidade de processamento de duzentas toneladas de minério por dia e o minério já está disponível.

Publicidade

Segundo o diretor de produção, Sergio Akiemboto, a produção está garantida por um longo tempo. “Nossa equipe de exploração já encontrou um local interessante e promissor que vai durar por um período aproximado de um ano e meio como um complemento. É um processo contínuo.

A investigação revelou que a operação será economicamente viável. Antes que a decisão fosse tomada, já estávamos configurando uma unidade de produção.Estamos trabalhando com vários cenários de preço para o ouro, assim foi calculado que a operação é rentável.

A Grassalco começou com o minério processado em cima de porknokkers, os chamados bakasanti. “Aqui ainda há de 60 a 70 porcento de ouro que permaneceu devido à baixa qualidade dos equipamentos de extração de ouro usado pelos garimpeiros que trabalharam na área. Disse Sergio Akiemboto.

A planta de Maripaston custou  US$ 800.000. doláres. Por mês é estimado o valor de US$ 170.000 nos custos de produção e segundo Karamart-Ali,  no minério bakasanti podem ser encontrados em média até meia toneladas de gramas de ouro.

Deixe seu comentário abaixo.

Comentar

Comentar