O jornal LPM NEWS traz neste dia 31 de julho de 2017, a publicação assinada pelo Sr. José Paulo Ribeiro, representante dos brasileiros no Suriname.

PUBLICIDADE

O Sr. José Paulo escolheu como tema para este mês, a crise moral e política no Brasil.

O período eleitoral se aproxima e os políticos estão nas ruas, nas portas das casas, no rádio, na televisão, nas redes sociais e em todos os lugares. A sedução é tremenda. A onda agora é o moralismo.

Nas últimas campanhas e, sobretudo nessa, tem surgido novos jargões: moral, ética, honestidade e a tal da ‘‘nova política’’ que trás no seu bojo a nova divisão da espécie humana, os bons e os maus, como se a forma não fosse a mesma – humana, com defeitos e virtudes – mais defeitos do que virtudes. Esse discurso tem se tornado uma droga entorpecendo os tolos. Já que vem misturando religião com política, trago aqui algumas considerações nesse contexto, para que façamos nossas reflexões.

Esse discurso moralista e pseudo moralizante é antigo, muito antigo. E, sempre que ele aparece é com pretexto de melhoria, mas quase sempre trazendo trágicas consequências para humanidade. Não esqueçamos das antigas cruzadas religiosas (que caçavam os que não seguiam tal doutrina), da caça as bruxas, do fascismo, nazismo e um pouco antes, o farisaísmo, o qual Jesus Cristo classificou de hipócritas. Já que o contexto é a hipocrisia, vamos refletir um pouco nisso: Um hipócrita é alguém que fingi ser virtuoso quando de fato não é. Alguns hipócritas realmente sabem que são farsas; outros creem que são virtuosos quando de fato são apenas críticos-demagogos e dissimulados. Um hipócrita tem sempre uma crítica pra tudo, sem mostrar solução pra nada. Outros vivem cantando louvores a si mesmo. Defendem a honestidade como a melhor política, mas, geralmente estão envolvidos nas maiores tramóias. A hipocrisia dá um duro danado para criar uma reputação pública favorável, mas é uma farsa. Os hipócritas gostam da admiração dos outros, mesmo que não as mereçam. Os hipócritas tem sempre um discurso casuísta, oportunista e moralista; porém, no palco das pessoas mais moralistas, existe um mundo de idéias nada puritanas e como sempre, há por traz desse moralismo todo, uma alma em constante transgressão.

A verdade tem compromisso com a realidade e a liberdade do ser genuíno; mas, os hipócritas não respeitam a verdade. Jesus, o melhor exemplo a ser seguido, detestava os hipócritas, e seus comportamentos, por ser devastador o dano que causam aos que acreditam neles. Os hipócritas pensam que são justos; eles acham que são exemplos de vida para todos ao seu redor; mas, a história tem provado que os hipócritas são os piores exemplos de vida desprovidos de sentido. Difícil mesmo é a constatação de que alguns de nossos melhores amigos são hipócritas. Qualquer um que decida evitar os hipócritas pode está andando junto com justiça e equidade, mesmo sem perceber.

José Paulo Ribeiro – Zé Paulo, Conselheiro Representante de Brasileiros no Exterior.

Deixe seu comentário abaixo.