Foto: Reprodução

O ciclista colombiano Luis Marrero Mendez, 47 anos, chegou a Araçatuba com seu cachorro Pongo, um dálmata de três anos, após pedalar 15 mil quilômetros pela América do Sul.

Sem filhos nem esposa, o chef de cozinha que morava em Cartagena das Índias trocou as panelas e pratos que produzia pela estrada há três anos, após conhecer outros ciclistas que pedalavam pelo mundo.

Publicidade

Em sua bicicleta, carrega apetrechos para cozinhar, roupas, tênis, capacete, barraca, uma rede e, claro, o seu fiel companheiro Pongo, que é acomodado em uma caixa de engradado.

Ele chegou em Araçatuba há cerca de dez dias e recebe a ajuda das pessoas para se alimentar e também para dar ração ao seu cão inseparável. Também conta com a ajuda de uma empresa para fazer a manutenção de sua bicicleta.

O ciclista está no centro de apoio Centro POP, mantido pela Prefeitura. Lá, toma banho, dorme e faz a própria comida. Ele pretende ficar aqui por pelo menos 90 dias para resolver uma pendência judicial.

No ano passado, Mendez foi atropelado, quebrou o tornozelo e um osso do pé e precisou ser operado, ficando hospitalizado por 30 dias. Neste período, Pongo ficou aos cuidados de uma advogada voluntária.

Para receber o seguro DPVAT, o ciclista precisou abrir uma conta em um banco, que agora cobra uma dívida acumulada com cheque especial. “Eles jogaram dinheiro na minha conta sem seu solicitar e agora preciso resolver esta pendência antes de partir”, contou, afirmando que precisa de um emprego para quitar esta conta e acumular mais recursos para seguir com seu sonho de viajar.

Nos últimos três anos, Mendez passou por seis países da América do Sul: Colômbia, seu país de origem, Equador, Peru, Bolívia, Venezuela e Brasil, onde chegou há um ano, entrando pelo Acre e depois passando pelos estados de Rondônia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e São Paulo).

Por onde passa, procura visitar os principais lugares para conhecer a cultura local, interagir com os moradores e registrar tudo em fotos.

Em seus planos estão conhecer, ainda, a Argentina, Chile, Guiana, Guiana Francesa, Paraguai, Uruguai e Suriname, completando, assim, o tour pela América do Sul de bicicleta.

Por dia, chega a pedalar 50 quilômetros. Para ele, viajar com Pongo é muito prazeroso. “A gente acaba chamando muita atenção, todo mundo quer ver e tirar fotos, além de oferecer ajuda”, contou.

Sobre o futuro, após concluir a sua viagem pela América do Sul, ele nada sabe. “O que eu quero é conhecer e tocar o coração das pessoas onde chego. Consigo tudo de que preciso na vida com fé, mas, do futuro, não sei o que dizer”, concluiu.

Comentar

Comentar