Anamoestraat — Foto: Luiz Paulo

A última semana do mês de junho na América Latina será marcada por chuva no Sul do Brasil, além da faixa leste do Nordeste e nos países mais ao norte. O Sul do Brasil deverá receber em meados da semana volumes ainda beirando 100mm entre o norte do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e metade sul do Paraná.

As ondas de leste ainda vão manter uma chuva volumosa e persistente na costa do Nordeste, mantendo elevado o risco para problemas como inundações e queda de barreiras, principalmente entre Sergipe, Alagoas e Pernambuco.

Publicidade

Ao mesmo tempo, a Zona de Convergência Intertropical mantém os grandes acumulados de chuva entre norte do Peru, Colômbia,  Venezuela, Suriname, norte da Guiana e os países da América Central, com volumes em torno de 100mm e poderão ultrapassar 200mm em algumas localidades.

Na costa do México, o furacão Blas perde força, agora se torna uma Tempestade Subtropical e com ventos de 90km/h se afasta para alto mar sob o Pacífico. No entanto, a formação de uma nova área de baixa pressão na costa oeste da América Central irá manter o céu carregado e com acumulados de chuva acima de 130mm, sobretudo entre México, Guatemala e El Salvador.

Quanto às temperaturas, diferente da última semana, não há previsão de avanço significativo de massas de ar polar pela América do Sul e desta forma, apenas a argentina terá temperaturas baixas e com potencial para geadas, inclusive na península de Buenos Aires, onde a semana deverá começar com mínima de 3 graus, mas logo esse ar frio perde força e a temperatura entra em gradual elevação.

Seja pela presença da massa de ar frio ou pela presença de nuvens carregadas, essas condições devem dificultar a elevação das temperaturas na maior parte da América Latina nesta última semana de junho. O calor, será mantido apenas na região central do país, com os termômetros facilmente acima dos 30 graus.

Comentar

Comentar