Ministério das Finanças — Foto: Luiz Paulo
Publicidade

Uma reunião do Ministério das Finanças e Planejamento, juntamente com representantes dos bancos, definiu pela melhoria dos serviços ofertados no Suriname, o que inclui a normalização das transações financeiras e a abertura de conta corrente para a maioria dos cidadãos e residentes. Segundo a categoria, apenas 30% ainda não usufrui da cesta de benefícios bancários.

“Setenta por cento da população adulta já possui uma conta bancária. Durante a consulta, todos concordaram que os outros 30% também deveriam ser conectados. Foram feitas propostas de como as aldeias do interior e o setor do ouro podem se conectar ao sistema bancário, para que cada cidadão faça parte de um sistema financeiro surinamês saudável”, disse o ministro Armand Achaibersing.

Publicidade

A funcionalidade do Internet banking pode ser de grande ajuda no envolvimento de áreas remotas. Mas a experiência tem mostrado que é necessária orientação aos clientes acerca do uso. “Para que os clientes possam fazer transações bancárias com confiança da maneira moderna. Mais deve ser investido nisso. As medidas devem ser bem elaboradas, pois os bancos são regidos por regras rígidas”, completou.

Sobre a confiabilidade dos bancos, o governo do Suriname explica que clientes e sociedade são supervisionados pelo Banco Central e se enquadram nas regras da Força-Tarefa de Ação Financeira do Caribe (CFATF). “Isso significa, por exemplo, que o banco deve conhecer cada cliente e de onde vem seu dinheiro antes de fazer negócios com ele ou abrir uma conta bancária”, detalhou o ministro.

 

 

 

Comentar

Comentar