Amar Ramadhin foi um dos primeiros membros do governo a receber a vacina
Publicidade

Se por um lado o Suriname vive o momento mais delicado desde o começo da pandemia, por outro, o país começa a vislumbrar dias melhores. Atualmente, mais de 15% de sua população recebeu pelo menos uma dose da vacina contra a Covid-19, chegando a quase 90 mil doses administradas.

O país está à frente de nações mais potentes na América do Sul. Nem mesmo Equador, Colômbia e Bolívia alcançaram esse percentual de imunização. Segundo o Ministério da Saúde, com a segunda dose, o Suriname atingiu 3%, número baixo, porém, natural pelo intervalo entre as aplicações.

Publicidade

Amar Ramadhin também prevê redução nas infecções dentro de seis a oito semanas. “Anunciamos na Assembleia Nacional uma campanha em grande escala que será realizada. Esperamos uma redução significativa no número de infecções, internações e morte”, reiterou Ramadhin.

Outra mudança importante anunciada pelo governo do Suriname é a abertura da vacinação para todos que tenham a partir de 18 anos. A saúde pública possui um estoque de 18.600 doses de AstraZeneca. No meio da próxima semana, 40.000 doses são esperadas da Holanda.

Também é aguardado mais 50 mil doses da Moderna. “Um número entre 500 e 750 mil doses da AstraZeneca virão mais tarde. Também são esperadas vacinas da Covax e da China. Quando chegar o grande embarque de vacinas, as possibilidades de expansão são de pelo menos 7 mil doses por dia”, concluiu.

Comentar

Comentar