Só em Campinas, no interior de São Paulo, os casos de caxumba tiveram um crescimento de 304% nos últimos meses, de acordo com a Secretaria de Saúde. O número é 10 vezes maior do que em 2015. Já em São José do Rio Preto, também no interior de São Paulo, surgiram 18 casos de meningite em apenas 10 dias. No Distrito Federal, os casos da doença estão 75% maiores do que em 2015, segundo dados da Secretaria de Saúde.

A caxumba raramente pode resultar em complicações mais graves e não tem tratamento específico, apenas repouso e espera. A melhor forma de prevenir é através da vacina. Já a meningite deve ser tratada com extremo cuidado, pois pode levar até a morte. A confusão dos sintomas pode fazer com que o diagnóstico médico não seja feito rápido o suficiente, gerando consequências para o paciente. Assim, conheça mais sobre as doenças e, ao menor sinal ou sintoma de qualquer uma das duas, procure um especialista:

Publicidade

O que é?

Caxumba é uma infecção viral que afeta as glândulas parótidas – um dos três pares de glândulas que produzes saliva. As parótidas estão situadas entre suas orelhas e à frente delas. A caxumba é muito mais comum em crianças, e pode afetar uma das glândulas ou as duas. As complicações da caxumba são raras, e geralmente acontecem quando a pessoa contrai a doença na vida adulta. Não há tratamento específico para caxumba, por isso é importante prevenir seu aparecimento com a vacinação.

Sintomas

  • Inchaço e dor nas glândulas salivares (paroditite), podendo ser em ambos os lados ou em apenas um deles
  • Febre
  • Dor de cabeça
  • Sonolência e fraqueza
  • Falta de apetite
  • Dor ao mastigar e engolir.

Meningite

O que é?

A meningite é uma inflamação das meninges, que são as membranas que envolvem o cérebro. Existem diversos tipos de meningite, e para cada um deles há causa e sintomas específicos. A maioria dos casos de meningite é provocada por vírus ou bactérias, mas a doença também pode ser transmitida via fungos.

Outros fatores também podem desencadear num quadro de meningite, como alergias a determinados medicamentos, alguns tipos de câncer e também inflamações. Os três tipos da doença podem levar a um quadro de meningite crônica.

Sintomas

Os primeiros sinais de meningite, quando manifestados, aparecem de algumas horas até dois dias após a infecção. Também pode ser confundida com os sintomas da gripe.

  • Febre
  • Dor de cabeça
  • Sonolência
  • Falta de apetite
  • Pescoço rígido
  • Vômitos e náuseas
  • Confusão mental e dificuldade de concentração
  • Convulsões
  • Fotossensibilidade
  • Rachaduras e presença de manchas vermelhas na pele
  • Na consulta médica

    Dependendo da causa, meningite pode levar a complicações mais grave e pode, inclusive, levar o paciente à morte. Por isso, é muito importante que, ao primeiro sinal da doença, você procure um especialista para que ele possa fazer o diagnóstico. Se confirmada a doença, o tratamento deve começar imediatamente.

    Na consulta, descreva todos os seus sintomas e tire todas as suas dúvidas. Esteja preparado, também, para responder às perguntas do médico. Veja alguns exemplos:

    • Quando os sintomas começaram?
    • Você teve contato com alguém que estivesse com meningite?
    • Você tomou todas as vacinas indicadas?
    • Você faz uso de medicamentos imunossupressor?

    Diagnóstico de Meningite

    O diagnóstico de meningite pode ser feito pelo especialista tendo como base o histórico do paciente, um exame físico e alguns exames específicos, como:

    • Cultura de sangue, em que uma amostra de sangue do paciente é enviada para laboratório, onde é realizada uma cultura de microrganismos, em especial de bactérias
    • Exames de imagem, como raio-X e tomografias, procurarão por sinais de infecção pelo corpo.
    • Tratamento de Meningite

      O tratamento de meningite depende da causa.

      Para meningite viral muitas vezes o tratamento é dispensável, pois a doença costuma desaparecer sozinha após algumas semanas. Geralmente, os únicos meios de terapia indicados pelo médico são repouso, ingestão de muita água e o uso de medicamentos para aliviar as dores. Em casos específicos, o médico pode receitar também um antiviral.

      Já para casos de meningite bacteriana, o tratamento deve ser imediato por meio de antibióticos intravenosos e medicamentos de cortisona, para reduzir o risco de futuras complicações. O antibiótico que o médico receitará depende do tipo de meningite que o paciente tem, ou seja, da bactéria causadora da doença.

      Mesmo quando as causas da meningite não estão esclarecidas, os médicos podem ministrar medicamentos antivirais e antibióticos para o paciente, já que meningites causadas por vírus e bactérias são os tipos mais frequentes da doença.

      Quando o caso é de meningite fúngica, o tratamento é feito via fungicidas. No entanto, esses medicamentos podem apresentar diversos efeitos colaterais. Por isso, eles só serão receitados ao paciente quando a causa por comprovadamente infecção por fungos. Para tratar meningite crônica, o tratamento indicado é o mesmo do de meningite fúngica, já que esta é a única forma de meningite que pode levar ao quadro crônico da doença.

      Os medicamentos de cortisona são mais indicados para casos em que a meningite é causada por razões não-infecciosas, como reações químicas, alergias a medicamentos e alguns tipos de câncer.

      Especialista responde: Qual o medicamento mais comum no tratamento da meningite?

      Medicamentos para Meningite

      Os medicamentos mais usados para o tratamento de meningite são:

      • Amicacina
      • Ampicilina Sódica
      • Androcortil
      • Ceftriaxona Dissódica
      • Ceftriaxona Sódica
      • Ciprofloxacino
      • Doxiciclina.

      Somente um médico pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento. Siga sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA se automedique. Não interrompa o uso do medicamento sem consultar um médico antes e, se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita, siga as instruções na bula.

    • Prevenção

      Meningite é geralmente resultado de contágio entre duas pessoas. Vírus e bactérias causadores da doença podem ser transmitidos via tosse, espirro, beijo ou compartilhamento de itens pessoais. Por isso, é importante evitar ficar muito próximo a pessoas portadoras de meningite.

      Saiba mais: Você sabe se prevenir contra a meningite?

      Além disso, seguir algumas medidas básicas ajudam a prevenir a doença. Veja:

      • Lave sempre as mãos. Elas são a principal porta de entrada para muitas doenças
      • Não compartilhe itens de uso pessoal com outras pessoas, como cigarro, copos ou escovas de dente
      • Permaneça sempre saudável, com sistema imunológico funcionando corretamente
      • Ao tossir ou espirrar, cubra a boca.

Comentar

Comentar