Caso Daniel: Réus são interrogados pela Justiça pela primeira vez em São José dos Pinhais

Caso Daniel: Réus são interrogados pela Justiça pela primeira vez em São José dos Pinhais

Audiências são realizadas a partir desta terça-feira (13), no fórum, na Região de Curitiba. Edson Brittes deve ser o primeiro a ser interrogado.

Os sete réus do processo que investiga a morte do jogador Daniel Correia Freitas devem ser interrogados pela Justiça na terceira fase de audiências, que começou nesta terça-feira (13), no Fórum de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba.

Esta é a primeira vez que eles são ouvidos pela Justiça desde que ocorreu o crime, em outubro do ano passado.

A audiência começou por volta das 10h com o interrogatório de testemunhas que não tinham sido ouvidas nas fases anteriores. Às 11h, o interrogatório de uma das testemunhas foi interrompido para uma acareação.

Entre os réus, Edison Brittes Junior, assassino confesso do jogador, deve ser o primeiro a ser ouvido.

Nas outras fases das audiências, foram ouvidas as testemunhas de acusação e defesa. Quatro delas ainda devem ser ouvidas nesta terceira etapa.

Daniel foi encontrado morto com sinais de tortura em uma área rural de São José dos Pinhais. Edison Brittes disse que o matou porque ele tentou estuprar a esposa dele, Cristiana Brittes.

Os depoimentos, conforme a Justiça, devem encerrar até quinta-feira (15). Depois dessa etapa, as partes envolvidas terão um prazo para apresentar as alegações finais. Na sequência o juiz deve decidir se os réus vão ou não a júri popular.

Dos sete réus, cinco estão presos. Allana Brittes, filha de Edison, deixou a prisão na quarta-feira (7). Ela teve um pedido de habeas corpus aceito pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). A decisão foi unânime dos cinco ministros da 6ª Turma, segundo o STJ.

A filha de Edison e Cristiana, Allana Brittes, é ré no processo sobre a morte do jogador Daniel e responde em liberdade — Foto: Giuliano Gomes/PRPress

Os depoimentos estavam marcados inicialmente para os dias 5, 6 e 7 de agosto, e foram alterados para a partir desta terça depois de um pedido de um dos advogados, que defende Ygor King e David Willian da Silva, e que também possui cliente réu na Operação Rádio Patrulha, que tinha audiências marcadas para as mesmas datas.

Confira, abaixo, quem são os réus e por quais crimes foram denunciados

  • Edison Brittes Júnior – homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual e corrupção de menor e coação no curso do processo;
  • Cristiana Brittes – homicídio qualificado por motivo torpe, coação do curso de processo, fraude processual e corrupção de menor;
  • Allana Brittes – coação no curso do processo, fraude processual e corrupção de adolescente;
  • Eduardo da Silva – homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual e corrupção de menor;
  • Ygor King – homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual e corrupção de menor;
  • David Willian da Silva – homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual, corrupção de menor e denunciação caluniosa;
  • Evellyn Brisola Perusso – denunciação caluniosa, fraude processual, corrupção de menor e falso testemunho.

Fonte: G1

Comentar

Comentar