Após sofrer ataques nas redes sociais nos últimos dias, sobretudo, depois a publicação da reportagem intitulada “Brasileiro preso ilegalmente no Suriname morre de Covid-19”, a direção do Grupo LPM (LPM News e Rádio LPM) vem a público esclarecer uma série de questões referentes aos últimos acontecimentos envolvendo o vírus e a comunidade brasileira no país:

  • Antes, porém, a direção do Grupo LPM informa que exerce o jornalismo de forma imparcial, com sua essência, com análise de informação e, principalmente, com apuração e ouvindo fontes oficiais;
  • Para realizar esse trabalho, o LPM News dispõe de uma equipe de profissionais no Suriname e no Brasil, todos formados em jornalismo, com experiência no segmento e o compromisso com a verdade dos fatos, logo, nenhuma reportagem publicada é produzida por amador;
  • Após as ponderações acima, relembramos aos senhores a ordem cronológica dos fatos no Suriname quando:
    • Em 14 de maio deste ano, o próprio governo do Suriname, através de Jerry Slijngaard, membro da equipe nacional de gerenciamento da Covid-19, informou a existência de uma rota ilegal de brasileiros saindo de Belém e ingressando no país pelos rios e que grupos de pessoas já haviam sido detidos. Este fato foi relatado pelo LPM News na mesma data, reproduzindo integralmente o que disse o representante do governo;
    • A partir disso, a equipe do LPM News no Brasil, em Belém, procurou o Governo do Pará, a Prefeitura de Belém, a Marinha e a Polícia Federal. Todos os órgãos acionados foram enfáticos em informar o desconhecimento da situação, e isto também foi noticiado pelo LPM News no dia 18 de maio;
    • Tal assunto ganhou repercussão internacional e chegou, inclusive, a ser notícia no maior portal da América Latina e um dos maiores do mundo, o G1 – Rede Globo, tamanha a gravidade da situação;
    • O Consulado do Suriname em Belém, no entanto, informou que já tinha informações sobre as prisões, porém, não poderia repassar maiores detalhes à reportagem àquela altura;
    • Vale ressaltar que, até aquele momento, o Suriname registrava apenas 10 casos positivos de Covid-19 e uma morte, e não notificava nenhum novo paciente para o vírus desde 31 de março;
    • No mesmo dia, também em 18 de maio, o Governo do Suriname anunciou que um dos brasileiros detidos havia testado positivo para Covid-19, ou seja, tornando-se o 11º caso da doença. Este assunto também virou notícia no LPM News, com base nas informações oficiais do Ministério da Saúde;
    • A informação de que o referido brasileiro reativou os casos de Covid-19 no Suriname, em nenhuma hipótese, partiu do LPM News e, sim, foi amplamente divulgado pelas autoridades do governo do Suriname, e, a partir disso, dado a devida importância e publicidade em nossos veículos de comunicação. Lembramos que o governo é a principal autoridade do país;
    • No começo desta semana, um veículo de comunicação renomado no Suriname, o StarNieuws, divulgou a morte da quarta vítima do vírus, a qual foi atribuída a um brasileiro que, segundo eles, estaria ilegal. Como praxe no jornalismo, quando o assunto é considerado “furo de reportagem” e interesse de todos, o LPM News republicou a notícia, creditando todas as informações ao referido meio de comunicação, logo, não foi algo criado e, tampouco, apurado por nossa equipe;
    • Quando percebemos a movimentação nas redes sociais sobre a morte do brasileiro ilegal, imediatamente, acionamos as autoridades de saúde para confirmar a veracidade da nota do StarNieuws, porém, o governo disse que não poderia repassar detalhes sobre a vítima.
  • O LPM News e a Rádio LPM são veículos que fazem jornalismo, não emitem opinião a respeito de nenhum tema, apenas retratam notícias a partir de fontes oficiais e, sempre, estão pautadas pela ética e pelo compromisso com a verdade dos fatos, como mencionamos acima;
  • Infelizmente, como em qualquer nação, temos que relatar fatos negativos, porém, verdadeiros, sobre todos os seus residentes, sejam brasileiros, pessoas de origem asiática ou mesmo nativos, pois, como mencionamos, temos compromisso com a verdade a partir de fontes que são oficiais;
  • Produzimos diversos materiais diariamente, em português e holandês, e com equipes próprias, como mencionamos acima, e dispomos de investimentos anuais em aprimoramento e tecnologia, tudo para ofertar a todos os nossos leitores a melhor informação;
  • E mais que isso: o Grupo LPM não tem quaisquer vinculações política ou partidária no Suriname. Seu trabalho é reconhecido ao longo de mais de cinco anos, onde contabilizamos mais de 3 milhões de acessos;
  • Por fim, reiteramos que nosso compromisso é com fatos, fazemos jornalismo sem vinculações e temos enorme satisfação de estar junto da comunidade brasileira, sempre os alertando, compartilhando boas e, claro, também as más notícias do Suriname e do mundo, porque queremos deixá-los bem informados.

Na certeza de que ter esclarecido e de sempre manter aberto o canal de comunicação com todos os brasileiros, surinameses e demais, agradecemos a compreensão.

Publicidade

A direção.

Comentar

Comentar