De acordo com informações da família, o brasileiro foi morto por um amigo que ele conheceu no Suriname.

As informações foram enviadas para a redação do jornal LPM NEWS na quarta-feira (12) pela Sra. Maria Rutilene Soares Nogueira, que é mãe da vítima e mora na cidade de Oiapoque no estado do Amapá.

Segundo a Sra. Rutilene, seu filho, MARRONE NOGUEIRA DE SOUZA (Foto) de 22 anos de idade, morreu no garimpo conhecido como “Tijan” na Guiana Francesa, na noite da última quinta-feira (6) após se desentender com outro brasileiro por motivos ainda desconhecidos.

A mãe da vítima, por meio do aplicativo de mensagens WhatsApp, relatou que seu filho conheceu o assassino quando ainda trabalhava nos garimpos do Suriname e que os dois eram amigos até que cerca de uma semana atrás quando os dois estavam trabalhando juntos no garimpo da Guiana Francesa, o acusado conhecido pelo apelido de “Loirinho” matou Marrone com um punhal.

Rutilene disse ainda que ficou sabendo da morte do filho, através de uma foto que foi tirada da vítima e enviada para uma pessoa em Paramaribo e esta pessoa por sua vez, postou a foto nas redes sociais. Amigos de Rutilene que viram a foto, reconheceram que se tratava de Marrone e avisaram sua mãe que trabalha como mototaxista na cidade de Oiapoque.

“Meu filho foi morto covardemente e o homem que matou meu filho fugiu após cometer o crime. É tudo que eu sei”, desabafou a Sra. Rutilene que pediu ajuda ao jornal LPM NEWS no sentido de obter auxílio financeiro para fazer o translado do corpo do filho para a cidade de Oiapoque.

Fomos informados pela família que o brasileiro foi enterrado no garimpo e que após a polícia da França ser informada do homicídio, uma equipe do Gendarmerie foi ao local para retirar uma amostra de DNA e fazer a identificação do corpo.

“Fiz uma ocorrência na Polícia Federal aqui no Oiapoque e também na cidade de Saint Georges na Guiana Francesa e eles me disseram que eu vou precisar de 8 a 10 mil Euros para cobrir os custos com o translado do corpo até a fronteira com o Oiapoque”, informou a Sra. Rutilene que tem a esperança de conseguir ajuda para sepultar o corpo do filho no Oiapoque.

Se você pode e deseja ajudar esta família entre em contato diretamente com a Sra. Maria Rutilene Soares Nogueira, através do telefone +55 96 8119-9039 (Zap) para mais informações.

Deixe seu comentário abaixo.