Bovespa fecha em alta e renova recorde nesta segunda-feira, à espera de votação da reforma da Previdência

Bovespa fecha em alta e renova recorde nesta segunda-feira, à espera de votação da reforma da Previdência

Na sexta-feira, o índice também bateu recorde no fechamento, a 104.089 pontos, alta de 0,44%.

O principal índice de ações da bolsa brasileira, a B3, fechou em alta e em novo patamar recorde nesta segunda-feira (8), véspera de feriado no estado de São Paulo. O pregão é marcado por expectativas de possível votação da reforma Previdência no plenário da Câmara dos Deputados ainda nesta semana.

O Ibovespa subiu 0,42% a 104.530 pontos. O volume financeiro da sessão somou R$ 12,56 bilhões.

Na sexta-feira (5), o índice também havia batido recorde no fechamento, a 104.089 pontos, alta de 0,44%. Na semana, a valorização foi de 3,09%. No ano, o avanço acumulado é de 18,44%.Os investidores monitoram os próximos passos da votação da reforma da Previdência. A aprovação do texto-base na comissão especial da Câmara, por 36 votos a 13, aumentou as chances de votação no plenário antes do recesso parlamentar (de 18 a 31 de julho).
A proposta agora seguirá ao plenário da Câmara, onde passará por novos debates. O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), estimou no sábado que o processo de votação da reforma da Previdência no plenário da Casa deve começar na terça-feira e disse acreditar em aprovação da matéria por uma boa margem, destacou a Reuters.Em nota a clientes, a equipe da corretora Tullett Prebon avalia que as notícias em relação à reforma são positivas e que o otimismo parece grande.No exterior, a semana começou com o petróleo e o minério de ferro na China em alta, mas as bolsas em Nova York mostravam alguma fraqueza com esfriamento em apostas de cortes mais agressivos nos juros pelo Federal Reserve no final deste mês, ressaltou a agência de notícias.

Destaques

A Vale ganhou 1,17%, ajudada nesta sessão pela alta do minério de ferro na China, com a mineradora recuperando-se após forte queda na semana passada, quando perdeu 2,8%.Petrobras PN subiu 0,91% e Petrobras ON ganhou 1,93%, a despeito da relativa estabilidade do petróleo no exterior. A companhia começou o processo de venda do Polo Tucano Sul, com campos terrestres na Bahia.A Gol avançou 1,26%, após estimar alta de aproximadamente 24% para a receita unitária de passageiro no segundo trimestre ante mesmo período de 2018.A Via Varejo subiu 6,30%, dando sequência à valorização recente, com expectativas relacionadas à mudança no comando da rede de móveis e eletrodomésticos.A Estácio ganhou 4,76%, entre as maiores altas do Ibovespa. Analistas do Bradesco BBI avaliam que o setor de educação pode se beneficiar significativamente de um cenário de custo de capital menor, com Estácio entre as mais beneficiadas.

Cyrela avançou 1,05%, a 23,10 reais, máxima histórica de fechamento, favorecida pelo cenário de juros baixos. A companhia anunciou recentemente pagamento de dividendos intermediários de 300 milhões de reais em 31 de julho.Já a Suzano perdeu 0,46%, após três altas seguidas, período que subiu 5,48%. Analistas ainda veem um ambiente desafiador para o setor de celulose, em razão da demanda fraca e estoques elevados. Klabin cedeu 1,25%.

Itaú Unibanco PN caiu 0,27%. Bradesco PN recuou 0,46%, enquanto o Banco do Brasil fechou em leve queda de 0,09%.
Fonte: G1

Comentar

Comentar