Urna eletrônica. Foto: TRE

Em Cuba, um dos países mais citados no bangue-bangue eleitoral brasileiro, o presidente Jair Bolsonaro (PL) teve apenas 1 voto, ou 3,23% do total, enquanto Luiz Inácio Lula da Silva (PT) venceu com 28 votos, ou 90,32%.

Completam a modesta votação brasileira na ilha socialista: Ciro Gomes (PDT), com 1 voto, e Luiz Felipe D’Ávila (Novo), também com 1. Segundo o Tribunal Superior Eleitoral, o ex-presidente petista foi o vencedor geral do primeiro turno entre os brasileiros que vivem no exterior.

Com 99,15% das urnas apuradas, Lula obteve 47,13% dos votos válidos lá fora, enquanto Bolsonaro, que busca a reeleição, 41,63%. Em números absolutos, Lula teve mais de 137,6 mil votos no exterior, enquanto Bolsonaro, 121,6 mil.

Ciro Gomes foi o terceiro, com cerca de 13,2 mil votos e Simone Tebet (MDB), a quarta, com 13,05 mil. Em Israel, cuja bandeira é uma das mais frequentes em manifestações de apoio ao presidente no Brasil, Bolsonaro ganhou com 45,98% em Tel Aviv, contra 39,37% para Lula.

De forma geral, o petista foi o preferido por brasileiros na Europa e Oceania. Bolsonaro venceu no Oriente Médio, EUA e Japão. A disputa foi mais acirrada na América Latina, África e na Ásia.

Principais colégios 

No maior colégio eleitoral de brasileiros no exterior, Lisboa (Portugal), Lula venceu com 61,6% dos votos (contra 30,58% de Bolsonaro).

Em Miami (EUA), segundo maior colégio, Bolsonaro ganhou com 74,3%, contra 16,24% de Lula.

Boston (EUA) abriga a terceira maior comunidade de eleitores brasileiros. Por lá, Bolsonaro teve 69,89% e Lula teve 23,04%.

Em Tóquio, no Japão, Bolsonaro ganhou com 66,94% dos votos. Em Nagoia, o atual presidente teve 75,47% dos votos. Em Hamamatsu, terceiro e últimos posto de votação no Japão, Lula teve apenas 11,59% dos votos, enquanto Bolsonaro ganhou 75,37%.

Na Itália, quarto país em número de brasileiros votando, Lula venceu com 50,18% dos votos em Milão e 54,76% em Roma.

Lula ganhou nos três locais de votação na Alemanha, quinto maior colégio eleitoral: em Berlim, teve 79,65% dos votos (contra 11,14% para Bolsonaro). Em Frankfurt, Lula teve 64%, ante 22,84%. E em Munique, o petista registrou 60,16% contra 24,73.

Segundo o TSE (Tribunal Superior Eleitoral), mais de 697 mil eleitores estavam aptos a votar no exterior neste ano – um aumento de 39,21% em relação a 2018.

Com 58,54%, mulheres são a maioria do eleitorado cadastrado no exterior. A maior parte dos eleitores brasileiros que vivem fora tem entre 35 e 44 anos. A votação estava prevista para ocorrer em 181 cidades em todo o mundo.

Europa

No continente europeu, Lula foi o mais votado em países como Portugal, Espanha, Holanda, França, Alemanha, Reino Unido e Irlanda.

A exceção foi a Grécia, onde Bolsonaro venceu com 46,9% dos votos.

Em Portugal, Lula teve 60,5% dos votos no Porto, 61,6% em Lisboa e 49,1% em Faro.

No Reino Unido, onde a votação foi realizada apenas em Londres, Lula ganhou com 55,18% dos votos contra 34,94% de Bolsonaro.

Na Espanha, Lula venceu com 52,27% em Madri e 70,2% em Barcelona. Na França, o petista teve 77,23% dos votos.

Na Hungria, liderada pelo aliado de Bolsonaro Viktor Orbán, Lula teve 80,89% dos votos contra 11,86% de Bolsonaro.

Comentar

Comentar