Locais de produção foram descobertos em Santa Cruz e em Beni, na Amazônia boliviana, e produziam mais de uma tonelada de substância pura

As autoridades da Bolívia desmantelaram quatro laboratórios usados por criminosos do país para produzir cocaína que seria depois enviada ao Brasil.

Publicidade

O anúncio da ação foi feito nesta segunda-feira (16) pelo vice-ministro de Defesa Social e Substâncias Controladas da Bolívia, Jaime Zamora.

Os laboratórios foram descobertos em Santa Cruz e em Beni, na Amazônia boliviana. Segundo Zamora, os quatro locais produziam mais de uma tonelada de cloridrato de cocaína, a substância pura, por mês.

Droga avaliada em R$ 85,3 milhões

Na Bolívia, essa quantidade da droga é avaliada em US$ 21 milhões (R$ 85,3 milhões). No entanto, ao ser misturada a outros produtos para ser comercializada no Brasil, o valor subiria para US$ 48 milhões (R$ 195 milhões). Na Europa, o destino final, o montante é ainda maior.

O diretor-geral da Força Especial de Luta contra o Narcotráfico na Bolívia, coronel Javier Maldonado, explicou que a operação na região de Beni teve o apoio de uma unidade da Força Aérea do país especializada no combate a esse tipo de crime.

A ajuda foi essencial, segundo as autoridades da Bolívia, porque os traficantes tinham construído perto de alguns dos laboratórios pistas clandestinas para pouso e decolagem de aeronaves que levariam as drogas ao Brasil.

Ação conjunta com o Brasil

A operação faz parte de uma ação em conjunto com o Brasil, que no início do mês anunciou a desarticulação de uma quadrilha internacional que comprava a droga boliviana e a levava à Europa.

Segundo a Polícia Federal, os criminosos recebiam a cocaína no Mato Grosso do Sul e, de avião, transportavam a droga até o porto de Santos. De lá, a substância era embarcada com destino à Europa.

Fonte: R7

Deixe seu comentário abaixo.

Comentar

Comentar