Medida foi aprovada com 26 votos a favor.

Com 26 votos a favor e 11 contra, a Assembléia Nacional (DNA) do Suriname aprovou a proposta para alterar a Lei da Dívida Nacional. Vários grupos contrários à decisão protestaram, a exemplo do que aconteceu na última quinta-feira, 31. A nova lei delibera que o governo federal pode emprestar até 95% do Produto Interno Bruto (PIB) e contrair débito de até 60%.

Montantes superiores a estes percentuais deverão ser autorizados pelo parlamento surinamês. Michael Ashwin Adhin, vice-presidente do país, indicou que, com a adoção da emenda, o desenvolvimento pode ser continuado. “As mudanças demonstram que não há impunidade porque o governo está vinculado aos 35% e deve sempre prestar contas ao parlamento”, pontuou.

Amzad Abdoel, líder do NDP, diz que o partido votou na lei “porque o desenvolvimento tão necessário não deve ser interrompido e os projetos devem progredir no interesse da sociedade”. Ainda segundo ele, “o governo mostrou determinação ao transformar crescimento negativo da economia em crescimento positivo. Foram feitos investimentos em educação, produção, infraestrutura e outros projetos”, disse.

Foto: DNA

Deixe seu comentário abaixo.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui