Programa recompensa pesquisadores independentes que relatam erros de programação.

A Apple anunciou uma expansão do seu programa de “Bug Bounty”, que paga recompensas a pesquisadores que descobrem falhas de segurança em seus produtos. Os prêmios, antes reservados para apenas alguns especialistas participantes, agora estão disponíveis para qualquer interessado e podem chegar a US$ 1 milhão (cerca de R$ 3,9 milhões).

PUBLICIDADE

O Google e a Microsoft, concorrentes da Apple, também possuem programas semelhantes. Nesse grupo de empresas, a fabricante do iPhone é a última a abrir seu programa de recompensas a qualquer pesquisador interessado. O novo valor oferecido pela Apple, no entanto, tem o potencial de estabelecer recordes para pagamentos desse tipo.

Os produtos contemplados pela oferta também aumentaram. Antes, a Apple pagava apenas por informações sobre vulnerabilidades no iOS, o sistema operacional usado no iPhone. De agora em diante, brechas no iCloud e em qualquer sistema operacional desenvolvido pela companhia — iPadOS, macOS, tvOS e watchOS — também podem render pagamentos.

O prêmio mais alto, de US$ 1 milhão, é reservado para quem demonstrar um ataque completo para invadir o sistema remotamente, encadeando todas as vulnerabilidades que forem necessárias. A companhia também vai oferecer um bônus de até 50% para falhas apontadas em versões de testes do sistema, evitando que esses problemas cheguem aos dispositivos em uso pelos consumidores.