Longa de Vinícius Coimbra estreia no dia 5 de novembro. Atriz fala sobre filme inspirado em tragédia de William Shakespeare.

“O que me encantou foi o roteiro muito bem amarrado. É uma adaptação crível dessa história”, diz a atriz Ana Paula Arósio sobre seu papel no filme “A floresta que se move”.

Publicidade

No filme, Elias (Gabriel Braga Nunes) é um executivo bem-sucedido que trabalha em um dos maiores bancos privados do Brasil. Ele teve todas as oportunidades de sua vida profissional dadas por Heitor (Nelson Xavier), presidente do banco.

Na volta de uma viagem de negócios, chegando ao banco, Elias se depara com uma bordadeira misteriosa (Juliana Carneiro da Cunha) que lhe cumprimenta pelo nome e diz que ele se tornará vice-presidente ainda naquele dia e, presidente do banco, no dia seguinte. Muito impressionado, Elias conta a história à Clara (Ana Paula Arósio), sua linda e poderosa esposa. Clara, instigada pelas previsões, sugere que seu marido convide Heitor para jantar em casa naquela noite.

A roda da fortuna é fatalmente ativada e uma sequência de assassinatos é perpetrada pelo casal, deixando um rastro de sangue em seu caminho para o poder e tornando-os algozes e vítimas de seus próprios destinos.

O filme de Vinícius Coimbra é livremente inspirado na tragédia “Macbeth”, de William Shakespeare, e estreia no dia 5 de novembro. Além da direção, Vinícius também é responsável pelo roteiro, em parceria com Manuela Dias.

Deixe seu comentário abaixo.

Fonte: G1

Comentar

Comentar