Foto: GEA

O Distrito Sanitário Especial Indígena (Dsei) notificou autoridades de saúde e vigilância do Amapá após registrar alta de casos de Covid-19 em aldeias indígenas de Oiapoque, no extremo norte do estado. Segundo a entidade, foram 232 registros nos últimos 20 dias, sendo a maior incidência no período entre 31 de outubro e 6 de novembro, com 203 confirmações.

As aldeias atingidas foram as do Manga, Kumarumã e Kumenê. Uma força-tarefa criada pelo estado e coordenada pela Superintendência de Vigilância em Saúde (SVS) foi mobilizada para conter o avanço da doença. Veja os dados:

Publicidade

Período de 31 de outubro a 6 de novembro

  • Aldeia do Manga – 127 casos
  • Aldeia Kumarumã – 52 casos
  • Aldeia Kumenê – 24 casos

Período de 7 a 13 de novembro

  • Aldeia do Manga – 1 caso
  • Aldeia Kumarumã – 19 casos

Período de 14 a 20 de novembro

  • Aldeia do Manga – 3 casos
  • Aldeia Kumarumã – 6 casos

Na quinta-feira (25), as equipes viajam para as localidades com o objetivo de reforçar a vacinação dos indígenas e aplicar testes rápidos para ajudar no monitoramento de novos casos.

“Sempre acompanhamos todo o estado e quando necessário, deslocamos equipes para realizar todos os procedimentos de prevenção. Nas aldeias contamos com a parceria do Dsei para facilitar o acesso aos povos e continuar monitorando essas localidades”, explicou o superintendente da SVS, Dorinaldo Malafaia.

A força-tarefa conta com o apoio de mais de 30 colaboradores, entre vacinadores, médicos, equipes de monitoramento, rastreio e testagem.

As equipes de saúde também organizaram um esquema de capacitação para os agentes. A ação inclui distribuição de materiais informativos aos povos indígenas, para que a população possa buscar um atendimento mais rápido e ajudar na detecção precoce dos casos de Covid-19.

Comentar

Comentar