Ministra Lilian Ferrier dispara contra cobrança: “Eu peço aos pais que não paguem uma contribuição parental”.

PUBLICIDADE
Lilian Ferrier – Ministra da Educação, Ciência e Cultura — Foto: LPM

Os pais com filhos que estudam em escolas de Fibos (RKBO) não precisam mais pagar a taxa de SRD 250. A medida foi adotada em julho deste ano após reuniões que discutiram o subsídio. O resultado dos encontros foi um acordo firmado entre o Ministério da Educação, Ciência e Cultura e a Federação das Instituições de Educação Especial do Suriname (Fibos) extinguindo a obrigatoriedade da contribuição.

Mesmo com o acordo, a Fibos enviou uma carta para a ministra Lilian Ferrier, com as condicionantes que deveriam ser cumpridas até 1º de agosto, incluindo o pagamento dos valores em atraso. No dia seguinte, o montante de SRD 1,4 milhões foi depositado na conta da Fibos.

Então me dói quando vejo uma carta da Fibos, onde uma contribuição dos pais é solicitada de qualquer maneira, disse Lilian Ferrier.

Desde 1939 existe a política de subsídios no país. Os valores são pagos pelo Ministério em favor das escolas. Somente em 2018, a Fibos recebeu SRD 306 milhões do governo federal do Suriname. Neste novo acordo, que visa dar mais transparência na aplicação dos recursos, ficou acertado entre os órgãos que não haja mais solicitação de contribuição de parentes dos estudantes.

A partir disso, todo o recurso será repassado somente pelo governo, segundo adiantou Lilian Ferrier. A taxa solicitada aos pais dos alunos era destinada, entre outras coisas, para manutenção de espaços, compra de materiais educacionais e custos de cópias.

Eu peço aos pais que não paguem uma contribuição parental até que este assunto esteja completamente claro, finalizou a ministra.

Foto: LPM

Deixe seu comentário abaixo.