Um estudo da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, estima que cerca de 59 mil fazendeiros indianos tenham cometido suicídio nos últimos 30 anos por conta do aquecimento global. A responsável pelo estudo, Tamma A. Carleton, relacionou os dados sobre violência na Índia do período entre 1967 e 2013 com as informações sobre mudanças climáticas.

Um dos destaques do estudo publicado no periódico Proceedings of the National Academy of Sciences é o fato de o aumento da temperatura durante a época fértil impactar diretamente a vida dos fazendeiros. O aumento de 1°C em dias mais quentes que 20°C poderiam causar até 67 mortes no país. “Em contraste, a temperatura fora da época de crescimento não gera impactos”, afirma Carleton na pesquisa.

Publicidade

“Essa análise da Índia, onde um quinto dos suicídios do mundo ocorrem, mostra que o clima, particularmente a temperatura, tem forte influência no número de suicídios”, acrescentou a especialista no relatório.

+ 6 sinais de comportamento suicida

Dados de 2013 revelam que 52% das famílias indianas que sobrevivem da agricultura têm dívidas, com empréstimos de 47 mil rúpias (cerca de R$ 2,3 mil). Cerca de 60% do total de terras cultivadas não possui instalações de irrigação e depende exclusivamente da chuva. Quando não chove, o impacto é catastrófico.

Mesmo com as políticas de prevenção do governo, a relação entre as mortes e o aquecimento global permaneceu constante nos 47 anos estudados. “Isso tudo mesmo com o robusto crescimento econômico da Índia e grandes melhorias no campo agrícola nesse período”, relata Carleton. Para ela, a solução é investir em adaptar o meio agrícola ao aumento de temperaturas.

Fonte: Dol

Comentar

Comentar