Pelo menos 35 pessoas morreram e outras 48 ficaram feridas durante um tumulto na cerimônia do funeral de Qassem Soleimani, em Kerman, sua cidade natal no Irã, informou a imprensa local nesta terça-feira (7).

A confusão aconteceu enquanto o caixão do general iraniano, morto no último dia 2 de janeiro em um ataque dos Estados Unidos em Bagdá, era preparado para ser sepultado. Segundo a imprensa, as vítimas teriam morrido pisoteadas.

Publicidade

O número de mortos ainda deve ser atualizado pelos serviços de emergência. Milhares de pessoas participam do cortejo fúnebre carregando bandeiras do país e fotos de Soleimani. Imagens da TV estatal mostram os iranianos tomando as ruas de Kerman. Diversas autoridades do Irã discursaram na cerimônia.

O corpo do comandante, considerado o segundo homem mais poderoso do país, atrás apenas do líder supremo aiatolá Ali Khamenei, será enterrado no chamado Cemitério dos Mártires depois de quatro dias de homenagens.

O cortejo teve início na cidade de Ahvaz, passou pelo município sagrado de Mashhad e depois seguiu para a capital Teerã. Lá, Khamenei liderou uma cerimônia nos arredores da Universidade local e a filha do general, Zeinab Soleimani, afirmou que a morte de seu pai “trará dias mais escuros” aos Estados Unidos. Além disso, ela ressaltou que “o plano maligno” do presidente americano, Donald Trump, de causar separação entre Irã e Iraque falhou.

Fonte: Dol

Deixa seu comentário abaixo.

Comentar

Comentar