Suriname está entre os 86 países com superlotação nas prisões

Suriname está entre os 86 países com superlotação nas prisões

De acordo com a lista do Institute for Criminal Policy Research (ICPR), o Suriname ocupa a posição de número 175 na lista de 226 países pesquisados.

A lista com as informações sobre as condições e a população prisional foi divulgada esta semana pela Carta Prisional Mundial (WPB), que se baseia em números oficiais para 2014.

Segundo as informações contidas no relatório da WPB, oficialmente, o país tem 1.330 vagas para condenados nas três prisões em Nickerie, Paramaribo e Wanica e quando se trata da população prisional, o Suriname ocupa a posição de número 175 na lista de 226 países e territórios. O WPB é publicado a partir de 2000 pelo Institute for Criminal Policy Research (ICPR) e a Birkbeck University of London.

Vários relatórios nos últimos anos mostraram que, ao contrário da ocupação nas prisões, a situação está afetando as celas de delegacias onde em alguns casos, existe uma superlotação. Isto acontece em parte devido ao atraso dos casos criminais tratados pelo poder judiciário, o que significa que os suspeitos permanecem em custódia por mais tempo.

Entre os países que têm menos pessoas na prisão estão o México (97,9), o Ruanda (95,6), a Jamaica (88,8), Hong Kong (77,3), Trinidad e Tobago (75 , 1), Dominica (73), Barbados (70,7), Holanda (68,1), Aruba (68,4) e Japão (66,8). Nauru (um estado insular e república na Micronésia no Pacífico é o país onde apenas 14% da capacidade prisional é utilizada e foi classificada como o número 205. Além disso, San Marino (204) tem 25% e Andorra (203) com uma taxa de ocupação de 28,3 por cento.

O Haiti, segundo a WPB é o pior da lista quanto a questão de superlotação prisional. Com uma taxa de ocupação de 454 por cento, este país está em primeiro lugar no ranking mundial de prisões superlotadas. Isso é quase cinco vezes mais pessoas do que o número de vagas disponíveis na prisão do Haiti e mais de 72% das pessoas que estão presas não estão em prisão preventiva.

A sobrepopulação resulta em desnutrição e proporciona o aparecimento de doenças nas prisões. Enquanto isso, os Estados Unidos da América, também estão gradualmente lidando com a superlotação nas prisões. Com um excesso de capacidade de 103,9 por cento, este país está no 111º lugar da lista do Carta Prisional Mundial (WPB).

Deixe seu comentário abaixo.

Comentar

Comentar