Suriname e China se unem para proteger onça-pintada da extinção

Suriname e China se unem para proteger onça-pintada da extinção

Uma campanha pela proteção da onça-pintada pode ser vista através de grandes outdoors espalhados pelo Suriname.

Na segunda-feira (11), representantes da Conservação Internacional do Suriname (CIS) juntamente com as Associação Chinesa do Suriname (SCUA), anunciaram o início da campanha pela preservação da onça-pintada.

O objetivo é coibir a matança e o comércio destes animais que são protegidos por lei no Suriname. A campanha é financiada pela Global Wildlife Conservation e pela World Wildlife Fund Guianas.

O Suriname e a China uniram forças em campanhas de conscientização nos dois países para pedir a proteção do “rei da floresta surinamesa”. Ao mesmo tempo, chama-se a atenção para as graves consequências da violação da Lei da Caça, em particular a captura, a morte e o comércio de onças. Deportação, prisão e multas altas fazem parte da punição pela violação da lei que protege a onça-pintada que também é conhecida como jaguar no Suriname.

O jaguar é caçado ilegalmente e vendido em grande escala. “Isso não é culpa apenas dos chineses”, disse a Conservation International Suriname através de um comunicado de imprensa.

A onça-pintada é comercializada em partes ou inteiramente. A pele e os dentes são populares, mas a carcaça do jaguar também é processada em uma espécie de “pasta de tigre” que é contrabandeada para a China. O remédio ajudaria contra as dores articulares crônicas, melhoraria o desempenho sexual e promoveria saúde e bem-estar.

Foto: Arquivo LPM NEWS

Deixe seu comentário abaixo.

Comentar

Comentar