Redes sociais influenciam alimentação calórica de crianças

Redes sociais influenciam alimentação calórica de crianças
O que seu filho acessa nas redes sociais pode dizer muito sobre o que ele come ou deixa de comer. Isso é o que revela um estudo da Universidade de Liverpool (Reino Unido), que avaliou o impacto de “influenciadores” do Instagram sobre o consumo alimentar de crianças. Publicada no periódico Pediatrics, a pesquisa aponta que crianças que assistiram vloggers do Instagram falando sobre alimentos não saudáveis acabaram aumentando sua própria ingestão de calorias.

Após a análise do comportamento de 176 crianças entre 9 e 11 anos, cientistas confirmaram que os pequenos que assistiam a vídeos dos chamados “influenciadores” comiam até 32% a mais de calorias vindas de lanches não-saudáveis e 26% a mais de calorias no total, proveniente de toda alimentação em si (saudável e não saudável).

Saiba mais: A alimentação da criança influi diretamente no rendimento escolar

Como foi feito o estudo

Passo 1: Os pesquisadores criaram perfis falsos no Instagram a partir da imagem de dois blogueiros bastante populares no YouTube (os chamados “vloggers”)

Passo 2: Então, as crianças foram divididas em 3 grupos.

Passo 3: O primeiro grupo (58 crianças) viu imagens dos influenciadores falsos que falavam sobre lanches não saudáveis. Já o segundo (59 crianças) se deparou com os influenciadores que traziam opções saudáveis em seus vídeos. Por sua vez, o terceiro grupo (59 crianças) assistiu aos vloggers que tratavam de produtos não alimentícios.

Passo 4: Após isso, as crianças podiam escolher entre lanches não saudáveis (geleia doce e chocolate) e lanches saudáveis (cenouras e uvas sem sementes).

Passo 5: A partir do experimento, foi medida a ingestão de lanches não saudáveis, saudáveis e o consumo geral (combinado de lanches saudáveis e não saudáveis) de cada grupo.

Saiba mais: Sete receitas práticas de sanduíches saudáveis

Resultados detalhados

Consumo de calorias Grupo 1: crianças que viram influenciadores com lanches não-saudáveis Grupo 2: crianças que viram influenciadores com lanches saudáveis Grupo 3: crianças que viram influenciadores com produtos não-alimentares
Lanches não-saudáveis 384,83 kcal 319,51 kcal 292,24 kcal

Crianças que viram os perfis de influenciadores falando sobre lanches não saudáveis ingeriram mais calorias no total e também consumiram mais alimentos não saudáveis, quando comparadas com o grupo que viram os mesmos influenciadores sem produtos alimentares. Por outro lado, o grupo que assistiu aos influenciadores falarem sobre alimentos saudáveis não tiveram uma mudança significativa em suas escolhas alimentares.

Diante disso, os cientistas concluíram que o acesso de crianças a influenciadores no Instagram afeta o que elas comem no dia a dia. Enquanto o marketing sobre alimentos saudáveis não teve efeito, a promoção de lanches não-saudáveis influenciou negativamente o consumo imediato das crianças, fazendo com que optem por escolhas mais calóricas.

Comentar

Comentar