Rayron Gracie posta foto abraçado à mãe na cama do hospital após espancamento: ‘Guerreira’

Rayron Gracie posta foto abraçado à mãe na cama do hospital após espancamento: ‘Guerreira’

O lutador de jiu-jitsu fez postagem em rede social pela 2ª vez. No domingo, ele tinha postado foto com declaração de amor: ‘Eu te amo, mãe’. Elaine Caparroz, 55 anos, recebeu alta do CTI nesta terça-feira (19).

O lutador de jiu-jitsu Rayron Gracie, filho de Elaine Caparroz, 55 anos, espancada dentro de casa na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, visitou a mãe no hospital nesta terça-feira (19). Ele fez uma postagem em uma rede social abraçado à mãe na cama do hospital e escreveu: ‘Guerreira’. Em uma hora, a postagem tinha mais de 17 mil curtidas.

No domingo, Rayron, que é filho do lutador Ryan Gracie, que morreu em 2007 em São Paulo, já tinha feito uma publicação com uma declaração de amor: “Te amo mãe”.

A paisagista deixou o CTI do hospital em que está internada na Zona Norte na manhã desta terça e gravou um vídeo para dizer que se recupera das lesões: “Logo, logo, eu estou numa boa”, disse.

O boletim médico divulgado pele hospital informa que Elaine se recupera bem e não deverá passar por cirurgia.

O vídeo foi compartilhado por um familiar que acompanha a paisagista no hospital. “Ela nasceu de novo”, afirmou o autor do vídeo. Ele agradeceu o apoio e orações das pessoas que acompanham a repercussão do caso.

O agressor é Vinícius Batista Serra, de 27 anos. Elaine disse que o conhecia pelas redes sociais e que os dois trocavam mensagens há cerca de oito meses, até marcarem o primeiro encontro: um jantar na casa dela.

No hospital, ela contou como as agressões começaram: “Ele falou então: ‘deita no meu ombro para a gente dormir abraçadinho, pra dormir juntinho. Aí eu falei: ‘tá bom’. Eu acordei com ele me esmurrando a cara”.

O agressor foi preso em flagrante por tentativa de feminicídio. A polícia entendeu que Vinícius espancou Elaine por ela ser mulher. Ele disse que tomou vinho, dormiu e acordou em surto.

Nesta segunda-feira, a Justiça do Rio converteu em prisão preventiva a detenção de Vinícius. Na decisão, o juiz também determinou que Vinícius deve passar por exame médico psiquiátrico.

A polícia investiga a motivação do crime e quer ouvir os pais de Vinícius. A delegada Adriana Belém, da 16ª DP, afirmou que acha “inconcebível” ele ter tido um surto durante o episódio de espancamento – apurado como tentativa de feminicídio.

Em depoimento à polícia, Vinícius Serra disse que tomou vinho, dormiu e, ao acordar, teve um surto psicótico que o fez bater em Elaine Caparroz durante quatro horas. Adriana Belém questiona o fato de ele ter entrado no prédio onde a paisagista mora usando o nome falso. No documento do condomínio o registro mostra o nome de Felipe.

Fonte: G1

Comentar

Comentar