Polícia do Suriname apresentou relatório positivo para 2018

Polícia do Suriname apresentou relatório positivo para 2018

Um dos resultados positivos da polícia se refere ás operações de combate ao crime organizado, repressão ao tráfico de drogas e violência doméstica.

Segundo o chefe interino do Corpo de Polícia do Suriname (KPS), Roberto Prade, a força policial alcançou resultados significativos em 2018.

Em uma entrevista coletiva, o ministro da Justiça e Polícia, Stuart Getrouw e o chefe de polícia, falaram das metas alcançadas até o final do ano passado. “Isso foi possível graças ao esforço conjunto, inovação e flexibilidade da força policial” disse o chefe interino da polícia, Roberto Prade.

Segundo Prade, a KPS alcançou resultados diferentes em seus esforços para alcançar a realização de metas. Uma delas foi a realocação dos recursos limitados da força policial, para que ela possa ser usada da maneira mais eficiente possível em benefício dos cidadãos e da própria polícia. As diferentes estruturas da KPS foram reforçadas.

Outro resultado alcançado foi a implementação das várias operações e estratégias integradas para reduzir o crime a proporções controláveis. Parcerias com policias de países vizinhos também foram inseridas dentro e fora do país. Isso envolveu as diferentes forças policiais do Brasil, Holanda e América com a utilização de vários cursos de treinamento, reuniões e operações conjuntas resultantes destas parcerias.

“No ano passado, foram realizadas operações bem-sucedidas com muitas prisões, nas quais drogas, armas e produtos contrabandeados foram apreendidos”, afirmou Roberto Prade. Este resultado foi contabilizado devido ao desdobramento das diversas unidades de intervenção, equipe de detenção, Equipe Regional de Assistência (RBT), Equipe Central Suriname e RBT Leste. Um esforço significativo também foi feito para melhorar o tempo de chegada da polícia.

Prade explicou que as estatísticas da sala de controle mostraram que o tempo médio de chegada da polícia dentro de Paramaribo e Wanica em 47,8%, dos casos após receber a chamada, foi de dez minutos em média.

Foto: Arquivo LPM NEWS

Deixe seu comentário abaixo.

Comentar

Comentar