Pai da bebê Emilly se emociona ao lembrar do sorriso da filha

Pai da bebê Emilly se emociona ao lembrar do sorriso da filha

Menina morreu de problemas respiratórios. Internação veio tarde demais, depois que nem a Justiça conseguiu transferi-la.

José Carlos, pai da bebê Emilly Vitória, de apenas três meses, voltou na manhã desta quinta-feira (26) ao Hospital Municipal Jesus, na Zona Norte do Rio, para buscar o atestado de óbito da filha.

A criança morreu nesta quarta-feira (25) na unidade semi-intensiva, após luta dos pais para transferi-la. Ela chegou ao Salgado Filho com bronquiolite há três semanas, mas o quarto onde ficou estava mofado, e seu quadro piorou. A família obteve liminares ordenando a remoção, mas a prefeitura só providenciou a mudança no dia seguinte ao do prazo estipulado pela Justiça. Era tarde demais.

Emocionado, ele lembrou o sorriso da filha: “É guardar bem a lembrancinha dela. O sorrizinho dela”, disse o pai.

“O que eu pude fazer eu fiz, né? Agora é fazer o enterro dela, com dignidade. É guardar bem a lembrancinha dela. O sorrisinho dela, que ficava rindo para mim. ”

José Carlos acredita que a demora na transferência da filha foi determinante para a morte de Emilly. “Ela veio para cá muito tarde. Não conseguiu vir antes. Minha esposa tem três meninas e queria muito essa bebezinha. Deus deu, mas quis tirar. Difícil, difícil”, lamenta o pai.

Quarto onde Emilly aguarda transferência está mofado (Foto: Arquivo pessoal )

Médicos realizam exames para identificar a causa da morte de Emily.

Fonte: G1

Comentar

Comentar