Organização Mundial de Saúde Animal declarou oficialmente o Suriname livre da febre aftosa

Organização Mundial de Saúde Animal declarou oficialmente o Suriname livre da febre aftosa

O Suriname tornou-se oficialmente livre de febre aftosa, segundo declaração da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE). 

“O Suriname empreendeu esforços para se ver livre da ameaça da doença, porque no caso de um surto da doença, haveria um prejuízo muito grande de animais como vacas, pequenos ruminantes e porcos”, informou o Ministério da Agricultura, Pecuária e Pesca do Suriname, nesta quinta-feira, 12 de julho.

Os principais sintomas da febre aftosa em animais são feridas (bolhas) na boca e nas garras. O veterinário Edmund Rozenblad, que é diretor do Ministério da Agricultura, Pecuária e Pesca, está satisfeito com o status obtido junto á OIE. Segundo Rozenblad, essa conquista não aconteceu em um piscar de olhos, mas faz parte de todo um processo onde o Suriname teve que provar à organização que a doença realmente não ocorre mais no país.

“Quando você é oficialmente declarado livre desta doença, as portas se abrem para você no mundo, por isso estou muito feliz com o Suriname, e é claro que é importante manter a doença fora dos limites”, afirmou Rozenblad.

De acordo com o representante do Ministério da Agricultura, Pecuária e Pesca, é essencial que haja um bom serviço veterinário, um bom laboratório e uma equipe competente. Os sucessivos governos prestaram pouca atenção ao serviço veterinário para fazer e manter este serviço qualitativamente funcionando bem.

Deixe seu comentário abaixo.

Comentar

Comentar