Militar é 3º a morrer em dia de protestos violentos na Venezuela

Militar é 3º a morrer em dia de protestos violentos na Venezuela

Segundo defensor do Povo da Venezuela, militar morreu durante protesto violento na cidade de San Antonio de los Altos

Caracas – O defensor do Povo da Venezuela, Tarek William Saab, informou na quarta-feira que um militar morreu durante protesto violento na cidade de San Antonio de los Altos, localizada no estado de Miranda, perto de Caracas, capital venezuelana.

Saab explicou que o segundo-sargento da Guarda Nacional Bolivariana (GNB, polícia militarizada) Neomar San Clemente Barrios foi “assassinado” por um franco-atirador no município de Los Salias.

Além disso, afirmou que no mesmo local o coronel Juan Carlos Arias foi baleado, porém não informou mais detalhes como o fato.

“Tais distúrbios públicos acontecem no local desde o início da manhã, sob o repúdio dos moradores da região”, afirmou Saab, em sua conta no Twitter.

Em seguida, o primeiro vice-presidente do governante Partido Socialista Unido de Venezuela (PSUV), Diosdado Cabello, um dos homens mais influentes do chavismo, se referiu ao fato durante seu programa semanal na televisão estatal e responsabilizou o governador de Miranda e ex-candidato à presidência, Henrique Capriles.

“Acabam de assassinar um guarda nacional. Capriles e seu grupo de assassinos”, disse, assegurando que o crime não ficará impune.

Alguns dos protestos de quarta-feira que foram convocados pela opositora Mesa da Unidade Democrática (MUD), terminaram em violência e culminaram com as mortes de duas pessoas, uma em Caracas e outra em Táchira.

Fonte: Exame

Comentar

Comentar