Menina de 4 anos é estuprada após dormir na casa da patroa da mãe, na Zona Oeste do Rio

Menina de 4 anos é estuprada após dormir na casa da patroa da mãe, na Zona Oeste do Rio

Filho da patroa, de 19 anos, admitiu que violentou criança e saiu de casa. Polícia Civil conduz investigação sob sigilo, mas considera suspeito foragido. Jovem é hostilizado em redes sociais.

Polícia Civil investiga o caso de uma criança de 4 anos que teria sido estuprada por um rapaz de 19 anos, identificado como Eduardo Gonçalves. O crime teria acontecido depois que a mãe da menina, empregada doméstica, a deixou na casa da patroa na Taquara, Zona Oeste do Rio, para resolver problemas pessoais. O suposto autor do crime é filho da empregadora.

O G1 conversou com o pai da vítima sobre o episódio, que aconteceu no sábado (4). Ele disse que a mãe da criança, sua ex-esposa, buscou a filha na manhã de domingo (5) e percebeu que a criança estava mancando.

“Minha ex-esposa trabalhava na casa da mãe do Eduardo há 3 anos. No sábado, ela precisou resolver uma situação. A chefe dela falou: ‘Pode deixar ela aqui, eu vou levar ela no shopping para passear’. E minha esposa deixou ela lá”, contou o pai.

“Aí, no domingo de manhã, quando minha ex-esposa chegou à residência, a minha filha estava deitada no sofá da sala. Elas foram embora e minha filha começou a mancar. Minha ex-mulher perguntou o que tinha acontecido, e ela falou que tinha machucado na brinquedoteca. Aí a mãe dela falou: ‘Mas você não foi lá, fala a verdade’. Ai ela falou que foi o Eduardo que a machucou e apontou para as partes íntimas dela”, completou.

A menina teve que ser internada e passou por um procedimento cirúrgico, onde teve que receber mais de 20 pontos.

“Colocaram a minha filha na cama, e elas viram sangue escorrendo pelas pernas dela. Na hora, eles pegaram a minha filha e foram para o Rios D’Or”, disse o pai.

“Ela já teve alta médica na terça-feira (7), mas foi encaminhada para outro hospital para fazer outra bateria de exames. Vai fazer procedimento psicológico e pediátrico. Minha mulher está em estado de choque, muito assustada”.

Jovem estaria alcoolizado

Em depoimento na 32ª DP (Taquara), a mãe do jovem disse que o filho confessou o abuso. O garoto, segundo o relato da mãe, teria ingerido bebida alcoólica no dia do episódio. Enquanto a mãe levava a criança ao hospital, Eduardo fugiu do apartamento. De acordo com o advogado da família, a criança vai precisar tomar coquetel antirretroviral.

O delegado titular da 32ª DP, Rodolfo Waldeck, informou que um pedido de prisão contra Eduardo Gonçalves já foi solicitado à Justiça do Rio, e ele é considerado foragido. De acordo com o investigador, a apuração do crime segue sob sigilo.

A investigação terá apoio da Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (Dcav) por se tratar de uma violência contra uma criança. A delegada Juliana Emmerick afirmou que aguarda a recuperação da menor para começar os trabalhos.

“A investigação principal está a cargo da 32ª DP, a Dcav fará um apoio complementar para colher um depoimento especial da vítima. Toda criança vítima de violência tem que ser ouvida diante de um protocolo que a Dcav faz desde 2004. Vamos aguardar porque ela ainda está em reestabelecimento físico porque tomou mais de 20 pontos. Assim que ela se restabelecer faremos uma oitiva no hospital”, explicou Juliana.

Em redes sociais, muitas pessoas se mobilizaram para localizar Eduardo após ele ter fugido. Fotos do suspeito estão sendo compartilhadas, e inúmeros comentários estão sendo postados na conta dele em redes sociais.

Fonte: G1

Comentar

Comentar