Kate Middleton dá entrada em hospital de Londres em trabalho de parto

Kate Middleton dá entrada em hospital de Londres em trabalho de parto

Duquesa está grávida do 3º filho. Segundo o Palácio de Kensington, ela foi de carro até o centro médico acompanhada do marido, o príncipe William.

 A duquesa de Cambridge Kate Middleton, mulher do príncipe William, foi hospitalizada em Londres nos primeiros estágios do trabalho de parto, anunciou a família real nesta segunda-feira (23).

“Sua Alteza Real a Duquesa de Cambridge foi internada no Hospital St. Mary, em Paddington, Londres, no início da manhã, nos primeiros estágios do trabalho de parto”, disse o Palácio de Kensington. “A Duquesa viajou de carro do Palácio de Kensington até o Hospital St. Mary com o Duque de Cambridge.”

A duquesa de Cambridge está grávida de seu terceiro filho. Como ocorreu com o nascimento de George e Charlotte, a família real mantém suspense sobre o novo herdeiro, que terá o título de príncipe ou princesa de Cambridge. A presença de Kate no hospital mobilizou admiradores da família real e a imprensa.

A duquesa de Cambridge participou de seus últimos compromissos oficiais no dia 22 de março e então entrou em licença maternidade. O nascimento ocorrerá poucas semanas antes do casamento do príncipe Harry com Meghan Markle, que será realizado no dia 19 de maio em Windsor, e dias depois da comemoração dos 92 anos da rainha Elizabeth II.

No dia 27 de março o fotógrafo Arthur Edwards publicou em seu Twitter uma foto das grades do hospital sendo pintadas, o que aumentou a expectativa de que o estabelecimento esteja se preparando para o nascimento do bebê real.

Poderá ser rei ou rainha?

O novo membro real será o quinto na linha de sucessão pela Coroa, depois do seu avô, o Príncipe Charles, de seu pai, Príncipe William e de seus irmãos, Príncipe George e Princesa Charlotte. Assim, o príncipe Harry, seu tio e segundo filho de Charles, vai para a sexta posição.

Diferente de antigamente, o sexo do bebê não faz diferença na linha de sucessão. Isso porque em 2013 a monarquia britânica fez alterações nas leis para acabar com a famosa regra da “primogenitura masculina”, que coloca os homens antes das mulheres na linha de sucessão. Pela regra antiga, de 1701, uma menina não ocuparia o trono caso tivesse um irmão menino mais novo.

No entanto, dificilmente o novo bebê chegará a ocupar o cargo de monarca. Provavelmente ele ou ela será uma espécie de “reserva”, caso alguma coisa aconteça com o primogênito George.

Fonte: G1

Comentar

Comentar