Homem é preso suspeito de estuprar duas das sete meninas envenenadas em Paragominas (Atualização)

Homem é preso suspeito de estuprar duas das sete meninas envenenadas em Paragominas (Atualização)

Polícia diz que ele é tio das duas crianças que violentou. Ao todo, sete meninas comeram pão com veneno para matar ratos. Durante o atendimento na UPA, médicos descobriram o abuso sexual.

m homem foi preso por estupro de vulnerável em Paragominas, sudeste do Pará. Ele é tio das vítimas, que sofreram um envenenamento no sábado (21) e só tiveram o crime de abuso sexual descoberto durante o atendimento na UPA de Paragominas.

Sete crianças da mesma família foram envenenadas depois de comer pão com manteiga que estava contaminado. O veneno foi oferecido por um homem que queria se vingar da ex-companheira por não aceitar o fim do relacionamento. Ele foi preso e vai responder por homicídio qualificado.

Entre as vítimas do envenenamento, estavam os três filhos da ex-companheira do suspeito, três sobrinhos dela e o irmão da mulher. A filha da mulher, de 5 anos, morreu.

As crianças foram levadas para a UPA. Durante o atendimento, os profissionais da unidade de saúde descobriram que a criança que morreu envenenada e uma prima de 10 anos dela já tinha sofrido abuso sexual.

Não houve denúncia

Um tio das meninas é o principal suspeito do crime. Ele foi localizado e preso por estupro de vulnerável.

De acordo com o delegado Marcelino Kielmanivicz, que está responsável pelo caso, a menina de 10 anos relatou que o tio abusava dela quando tinha 8 anos e que toda a família já sabia, mas preferiram não denunciar. As investigações apontam que o suspeito ficou sumido por um tempo e quando voltou a menina de 5 anos foi a nova vítima.

“Por se tratar de um crime silencioso é mais difícil de ser investigado, mas durante o depoimento a menina foi bastante segura ao revelar a identidade do acusado, ela tinha pela certeza de quem era o abusador. Ela disse que já tinha falado pra mãe e pra avó sobre o tio. Ele teria passado um tempo longe, mas retornou a morar na mesma residência da vítima e nada foi feito”.

O suspeito permanece preso na delegacia da cidade, mas deverá ser transferido para o Sistema Penal.

Fonte: G1

Comentar

Comentar