Grupo criminoso comandava tráfico na região de fronteira com o Paraguai. Há mandados de prisão, busca e de sequestro de bens para MS, PR, SP, GO e RN.

Grupo criminoso comandava tráfico na região de fronteira com o Paraguai. Há mandados de prisão, busca e de sequestro de bens para MS, PR, SP, GO e RN.

PF faz operação contra traficantes que mandavam drogas em caminhões e recebiam em joias e dinheiro

Polícia Federal (PF) faz nesta segunda-feira (25) operação para desmantelar grupo de traficantes que mandava drogas da região de fronteira com o Paraguai para outros estados e recebia em joias e dinheiro transportados em helicópteros.

A operação é coordenada pela Delegacia de Naviraí, em Mato Grosso do Sul, e mandados são cumpridos também no Paraná, São Paulo, Goiás e Rio Grande do Norte. A ação leva o nome de Laços de Família, pois o comando da quadrilha era feito por parentes. O grupo tinha estreita ligação com o PCC de São Paulo.

A Laços de Família foi autorizada pela 3ª Vara da Justiça Federal de Campo Grande, com expedição de 20 mandados de prisão preventiva, dois de prisão temporária, 35 de busca e apreensão em residências e empresas, 136 de apreensão de veículos terrestres, 7 de apreensão de helicópteros, 5 apreensões de embarcações de luxo e 25 de apreensão de imóveis, sendo eles apartamentos, casas, sítios e comércios.

Também foi decretado a apreensãode todos os bens de 38 investigados, em todo o país, inclusive em nome de empresas de fachada.

Em Mato Grosso do Sul, os mandados são cumpridos em Mundo Novo e Naviraí.

A PF teve apoio da Receita Federal na Laços de Família. Os analistas verificaram a evolução patrimonial e fizeram a identificação de bens e empresas dos envolvidos.

Atuação

Conforme a Polícia Federal, os traficantes mandavam drogas para outros estados geralmente em grande quantidade, em caminhões, escondidas em meio a carga licíta.

Como pagamento pelo envio dos entorpecentes, os criminosos recebiam joias, veículos de luxo e dinheiro por meio de depósitos em contas bancárias de “laranjas” e de empresas de fachada. Helicópteros eram utilizados para transportar dinheiro e joias para pagar os traficantes.

O dinheiro recebido pelo envio da droga garantia aos traficantes, de acordo com a PF, vida luxuosa e poder. Eles impunham o temor e o silêncio na região, pela sua violência e poderio.

Apreensões

Durante a investigação que resultou na operação, a Polícia Federal já tinha conseguido apreender R$ 317.498,16 em dinheiro; joias avaliadas em R$ 81.334,25; duas pistolas, 27 toneladas de maconha, duas caminhonetes e 11 veículos de transporte de carga. Seis pessoas foram presas.

A PF calcula em R$ 61 milhões o prejuízo causado à quadrilha com as ações policiais, isso sem calcular as apreensões da operação realizada nesta segunda-feira.

Fonte: G1

Comentar

Comentar