Governo do Sudão do Sul usa comida como arma de guerra contra seus cidadãos

Governo do Sudão do Sul usa comida como arma de guerra contra seus cidadãos

Um relatório da ONU publicado nesta sexta-feira (10) acusa o governo do Sudão do Sul (país africano recém criado) de usar comida como arma de guerra. Os relatores alertam que mais de 100 mil sul sudaneses foram expulsos de suas terras pelas tropas por motivos étnicos, e que o governo está impedindo que a ajuda humanitária chegue até o local.  

“O governo durante grande parte de 2017 impediu deliberadamente que a ajuda alimentar chegue aos cidadãos”, escreveram os relatores. “Essas ações equivalem a usar a comida como uma arma de guerra com a intenção de infligir sofrimento aos civis que o governo vê como oponentes em sua agenda”, finaliza o relatório.

“A negação da ajuda causou miséria extrema entre grandes setores da população, com desnutrição e morte por fome, em particular na região de Greater Baggari, no condado de Wau”, disseram no relatório, apresentado ao Conselho de Segurança da ONU Comitê de sanções do Sudão do Sul.

O Sudão do Sul foi criado após uma longa guerra civil contra o governo do norte, que terminou no final de 2013, dois anos depois de terem se tornado independentes do Sudão, mais rico e desenvolvido. Um terço da população de 12 milhões de pessoas fugiu de suas casas. O conflito foi provocado por uma briga entre Kiir, Dinka e seu ex-deputado Riek Machar, um Nuer, que está sendo mantido na África do Sul.

As Nações Unidas alertaram que a violência no Sudão do Sul estava fornecendo “terreno fértil” para um genocídio.

Fonte: G1

Comentar

Comentar