Globo esclarece polêmicas sobre novela em Belém

Globo esclarece polêmicas sobre novela em Belém

Aguardada com grande expectativa pela população de Belém, a novela “A Força do Querer” causou polêmicas e frustrações nos noveleiros de plantão após a forma “estranha” em que a região de Belém foi retratada, principalmente em relação ao sotaque de alguns personagens, uso de expressões fora do vocabulário paraense e a aparição de locais que não existem na capital. Após diversas críticas, a emissora enfim se pronunciou sobre o caso: a novela não se passa exatamente em Belém e não tem compromisso em ser fiel com a realidade.

Diversos internautas do DOL já haviam criticado a representatividade paraense na novela, afirmando não se reconhecer na trama apresentada pelo folhetim. Alguns internautas chegaram a fazer críticas inclusive na página da escritora Glória Perez, autora da novela. Em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, o professor e pesquisador João de Jesus Paes Loureiro apresentou alguns dos principais pontos de críticas, como o sotaque nordestino dos paraenses, utilizando expressões como “oxi”, “vem não” e “no Belém”, a música tema da persongaem Ritinha, interpretada por Isis Valverde, ser um forró e um tanque de água localizado no Ver-o-Peso, onde não há aquário.

O cineasta amazonense Ségio Andrade também criticou o folhetim, afirmando que o programa “faz parte desse bairrismo disfarçado que existe no Brasil, que não observa com detalhes cada região e suas peculiaridades”.

Em nota, a emissora afirmou que a novela se passa na cidade fictícia de Parazinho, e não em Belém, e que a atração não possui compromisso de ser fiel com a realidade. Também ressaltou que a música tema de Ritinha é “Sereia”, de Roberto Carlos, e que as outras trilhas da novela abrangem diversos ritmos brasileiros. A nota ainda afirma que o tanque de água em que Ritinha fica nos arredores do Ver-o-Peso, e não dentro, e servia como recurso dramático para a história.

Fonte: Exame

Comentar

Comentar