Na última sessão de 2017, o dólar avançou 0,08%, vendida a R$ 3,3144, tendo acumulado valorização de 1,99% no ano passado.

dólar fechou em queda de mais de 1,5% ante o real na primeira sessão do ano, em linha com o exterior e com operadores devolvendo parte do hedge que haviam feito diante da possibilidade de rebaixamento do rating soberano do país por agências de risco, segundo a Reuters.

A moeda norte-americana terminou o dia vendida a R$ 3,2601, recuo de 1,63%. Veja a cotação.

O adiamento no final do ano passado da votação da reforma da Previdência na Câmara dos Deputados para fevereiro frustrou o mercado e levou investidores a precificarem um corte na nota de crédito do Brasil em dezembro, de acordo com o operador de câmbio da H.Commcor Corretora Cleber Alessie Machado.

“O mercado se protegeu do que era um iminente rebaixamento da nota do Brasil. As notícias e os dados indicavam um novo rebaixamento pela S&P, que não aconteceu”, assinalou à Reuters.

Agora, o mercado doméstico devolve esse hedge em um movimento um pouco mais intenso neste pregão, em uma tendência que deve continuar nas próximas semanas, segundo Machado.

A votação da reforma previdenciária foi marcada para o dia 19 de fevereiro e, em entrevista à Reuters, o chefe global de ratings soberanos da Standard & Poor’s, Moritz Kraemer, afirmou que o país não deveria adiar a questão para 2019, sob o risco de novo rebaixamento de sua nota.

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles conversou com representantes das maiores agências de risco no fim do ano passado, dizendo que não houve informação de qualquer antecipação de movimento sobre o rating.

“Há dados melhores de Brasil e possibilidade de aprovação da reforma da Previdência, e as agências de rating, S&P, Moody’s e Fitch, estão quietinhas”, explicou Reginaldo Galhardo, gerente de câmbio da Treviso Corretora.

No exterior, o dólar também apresentava fraqueza generalizada, com o euro atingindo a máxima de quatro meses contra a moeda norte-americana em meio ao otimismo com a melhora do cenário econômico na zona do euro.

“Parece prevalecer uma tendência de dólar mais fraco neste início de ano, com uma busca maior por risco”, disse Machado.

No último pregão de 2017, o dólar avançou 0,08%, vendido a R$ 3,3144, tendo acumulado valorização de 1,99% no ano passado. Em dezembro, a valorização foi de 1,31%.

Fonte: G1

Comentar

Comentar