Dilma e FHC não têm cadeiras reservadas na posse de Bolsonaro

Dilma e FHC não têm cadeiras reservadas na posse de Bolsonaro

Apenas os ex-presidentes Fernando Collor de Mello e José Sarney confirmaram presença

A cerimônia de posse de Jair Bolsonaro no Palácio do Planalto contará com a presença de dois dos cinco ex-presidentes vivos do país: o senador Fernando Collor de Mello e José Sarney.

De acordo com a assessoria de imprensa do Itamaraty, responsável pelos convites, todos os ex-presidentes foram convidados, inclusive Dilma Rousseff e Fernando Henrique Cardoso, com exceção do petista Luiz Inácio Lula da Silva, que está preso desde abril em Curitiba.

Duas cadeiras foram reservadas para os que confirmaram presença, Sarney e Collor, na primeira fileira do Salão Nobre, por onde Bolsonaro entrará no Planalto depois de receber a faixa presidencial do presidente Michel Temer.

O evento no Planalto está previsto para ter início por volta de 16h30, depois de Bolsonaro ser empossado pelo Congresso Nacional.

O cerimonial ainda organiza os últimos detalhes do evento e um forte esquema de segurança foi montado no local que deve receber ministros, presidentes do Congresso e de tribunais superiores.

Foram reservadas nove cadeiras para familiares de Bolsonaro, além da futura primeira-dama, Michelle Bolsonaro, que se sentará ao lado de Paula Mourão, mulher do vice-presidente eleito, general Hamilton Mourão.

Michelle é professora de Libras (Língua brasileira de sinais) e deve desenvolver projetos na área. Também no salão nobre foram reservados 33 acessíveis em Libra.

No total, foram reservados 400 lugares para convidados no Salão Nobre. Com informações da Folhapress.

Fonte: Política ao minuto

Comentar

Comentar