Chineses querem mais segurança e pena mais rigorosa para criminosos no Suriname

Chineses querem mais segurança e pena mais rigorosa para criminosos no Suriname

A mensagem foi dada durante a celebração da chegada do ano novo chinês na terça-feira, 5 de fevereiro.

O presidente da associação chinesa Fa Tjauw Song Foei, Chen Jin Hua, pede ao governo penalidades mais pesadas para os criminosos.

Jin Hua falou sobre a contribuição da comunidade chinesa no Suriname e disse que é grato ao governo pelo reconhecimento dado aos chineses no país. O Suriname é o único país do hemisfério ocidental que fez deste dia um dia de folga nacional.

O Vice-Presidente Ashwin Adhin, que falou em nome do presidente Desi Bouterse, abordou sobre o longo relacionamento entre o Suriname e China que se acumularam nos últimos anos e assinalou que esta cooperação entre os dois países é indispensável.

No passado, a China também apoiou o Suriname de várias maneiras, especialmente na área de treinamento diplomático, trabalho de infra-estrutura e outros projetos. O vínculo entre as duas nações também é bom, especialmente quando se trata de trocar projetos culturais.

Adhin também considerou o projeto Cidade Segura que foi concluído no ano passado com assistência técnica e financeira da República Popular da China. O projeto oferece muitas oportunidades para o Suriname e certamente dará uma boa contribuição para a segurança do país e das pessoas. Este projeto garante vigilância 24 horas por dia em locais específicos. Depois de Paramaribo, a intenção é colocar câmeras em Wanica e Marowijne.

Como gesto de gratidão, o governo do Suriname vai disponibilizar 50 hectares de terra à comunidade chinesa para a instalação de um templo e um cemitério.

Deixe seu comentário abaixo.

Comentar

Comentar