Bolsonaro estreia nesta terça em eventos internacionais com discurso no fórum de Davos

Bolsonaro estreia nesta terça em eventos internacionais com discurso no fórum de Davos

Na primeira viagem ao exterior como presidente, ele pretende restabelecer a confiança do mundo com o Brasil. Jair Bolsonaro afirmou que discurso dele será ‘muito curto’ e ‘objetivo’.

Há 22 dias no comando do Palácio do Planalto, o presidente Jair Bolsonaro fará nesta terça-feira (22) sua estreia em um evento internacional, discursando na sessão plenária do Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça. O encontro anual dos mais ricos, poderosos e famosos do planeta começa nesta terça e se encerra na sexta-feira (25).

O fórum de Davos reúne políticos, investidores e outras lideranças com o objetivo de construir uma agenda econômica, regional e industrial em comum. O encontro deste ano tem como tema a “Globalização 4.0: Moldando uma arquitetura global na era da quarta revolução industrial”.

De acordo com a assessoria do Planalto, o presidente brasileiro será o primeiro chefe de Estado latino-americano a discursar na abertura da sessão plenária do Fórum Econômico Mundial. A fala de Bolsonaro está prevista para ocorrer a partir das 12h30 (horário de Brasília).

Ao desembarcar nesta segunda-feira (21) em Davos, o presidente afirmou que fará um discurso “muito curto” e “objetivo” para dizer que o Brasil busca negócios “sem viés ideológico”.

Bolsonaro e a comitiva brasileira devem retornar a Brasília na sexta-feira (25). Neste período em que o presidente está fora do país, o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, está no comando do Planalto.

O presidente viajou à Suíça acompanhado do filho, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), e de cinco ministros:

  • Ernesto Araújo (Relações Exteriores)
  • Paulo Guedes (Economia)
  • Sérgio Moro (Justiça e Segurança Pública)
  • Gustavo Bebianno (Secretaria Geral da Presidência)
  • Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional)

Jair Bolsonaro é o quinto presidente brasileiro a participar do Fórum Econômico Mundial desde 1998. Os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso (1998), Luiz Inácio Lula da Silva (2003, 2005 e 2007), Dilma Rousseff (2014) e Michel Temer (2018) estiveram no encontro durante seus mandatos.

Recados ao mundo

O presidente da República afirmou que deseja mostrar aos participantes do fórum econômico que o governo dele está adotando medidas para recuperar a “confiança” no Brasil, com negócios “sem viés ideológico”.

“[O discurso] foi feito e corrigido por vários ministros para que déssemos o recado mais amplo possível sobre o novo Brasil que se apresenta com a nossa chegada ao poder”, declarou Bolsonaro aos jornalistas ao chegar a Davos.

Segundo o G1 apurou, Bolsonaro pretende usar a viagem à Suíça para defender a democracia e ressaltar a importância de aprovar reformas estruturantes no Brasil. Ele irá enfatizar à comunidade internacional que a aprovação de reformas, como a da Previdência, é essencial para o equilíbrio das contas públicas.

O presidente quer destacar ao mundo que o Brasil é um país favorável às privatizações e aberto a investimentos privados.

Regime Nicolás Maduro

A situação da Venezuela também está na pauta de Bolsonaro em Davos. O presidente deve participar na quarta-feira (23) de um “diálogo diplomático” que tem como objetivo discutir a “crise humanitária” no país sul-americano.

Na segunda-feira, Bolsonaro disse esperar que mude “rapidamente” o governo da Venezuela, comandado por Nicolás Maduro.

O brasileiro se reuniu na semana passada, em Brasília, com opositores de Maduro, a fim de aumentar a pressão contra o governo venezuelano. Maduro tomou posse em janeiro para um segundo mandato de cinco anos como presidente. Parte da comunidade internacional não reconhece o novo mandato do chefe de Estado venezuelano, e entre esses países está o Brasil.

Fonte: G1

Foto: Globo

Comentar

Comentar